OS ANOS 90 DO BB CEARENSE

É com imensa alegria, que apresento a todos os bodyboarders, principalmente os locais, a inédita matéria sobre tudo que aconteceu no bodyboarding cearense durante a segunda década de competições do estado, e que este ano está completando 30 anos de grandes conquistas, já que o primeiro evento que serviu para apontar os primeiros campeões cearenses ocorreu em março de 1986, mais precisamente nos dias 28 e 29, no Icaraí.

Portanto, meus amigos, vocês terão acesso a segunda parte de uma construção histórica pioneira e que começou com outra ação inédita, o “1º ENCONTRO GERAÇÃO MOREY BOOGIE”, também de iniciativa deste blog, e ocorrido no último mês de fevereiro, na Praia de Iracema, bairro onde se encontra o pico berço do bodyboarding cearense, a Ponte Metálica.

Naturalmente, minha lista de agradecimentos também é grande, começando pelos que mais colaboraram: Paulo de Tarso “Mano” (diretor da Aceab) e Tom Santiago (presidente da federação); em seguida, Amadeu Júnior, Miguel Ângelo, Ednardo Peixoto, Renato Casas, Vladinir Maciel, além, logicamente, de todos aqueles que disponibilizaram seus acervos pessoais, como Melk Lopes, Daniel Holanda, Ana Margarida, Anastácia Ribeiro, Célio Beleza, Ricardo Farias Paula, Rafaela Frota, Evans Botto, Marcos Morais, Ériko Vasconcelos, Gustavo Tavares, Alessandra Santos, Roberto Bruno, Alberto Maia, Teresa Neuma, Jander Carvalho e Amaya Takei.

Vale salientar, que este trabalho não teve apoio financeiro de ninguém, portanto, todos os custos com combustível, com energia, além do tempo utilizado, foram por mim financiados. E por fim, gostaria de dedicar tudo isso aos meus únicos dois filhos, os quais amo profundamente, como também agradecer especialmente a uma das pessoas mais importantes da minha vida, Noeme Cristina, minha mulher, que diariamente me apoia nessa trajetória de dedicação ao bodyboarding cearense.

1990

O primeiro ano desta década foi recheado de competições, e confirmou a tendência do estado de segunda maior potência do país, principalmente, por conta do desempenho dos nossos dois maiores atletas profissionais, Rosa e Biola.

A primeira competição da temporada, a 1ª Copa Ação, com apenas duas categorias em disputa (já que o evento era amador), aconteceu logo no mês de janeiro, mais precisamente nos dias 27 e 28, na Praia do Futuro, barraca Casarão, e apontou como campeão da principal categoria, a open, aquele que veio a se tornar, após o encerramento do campeonato brasileiro daquele ano, o primeiro grande bodyboarder amador do estado do Ceará: Seikiti Shinmon. Na outra categoria, a amador júnior, venceu Crisanto Pimentel.

Logo após, nos dias 3 e 4 de março, a A.B.P.I. (Associação de Bodyboarding da Praia de Iracema) realizou sua primeira etapa, na Ponte Metálica, e Ataliciano “Pirata”, então bicampeão cearense (estreante 87 e amador 88), faturou o título na pro/am, enquanto que Crisanto Pimentel repetiu sua performance anterior e também venceu na categoria amador júnior.

Já o mês de abril daquele ano teve três competições, duas delas com profissionais, mas a primeira foi aquela que deu início ao circuito cearense, o 1º Attack Contest, ocorrido na Praia do Futuro, barraca Cuca Legal, nos dias 7 e 8 de abril, e seus vencedores foram Wilson Rodrigues, na pro/am; Alberto Colares na amador open, conquistando seu primeiro título de etapa; Marcelo Quinderé na júnior, dando início ao seu bicampeonato cearense consecutivo da categoria; além de Nádia, no feminino. Na semana seguinte, as atenções se voltaram para a 3ª Copa Cavalo Marinho, que aconteceu no período de 12 a 15, desta vez na Praia do Futuro, mais precisamente defronte à barraca América do Sol. Como esperado, outro grande evento, pois teve a participação de atletas dos quatro cantos do país, e nosso eterno Francisco Rosa, na condição de bicampeão cearense (86/89), voltou a fazer história conquistando também, desta feita consecutivamente, o bicampeonato da principal categoria da competição, vencendo na final o até então melhor atleta internacional do país, o carioca Alexandre de Pontes, que terminou em terceiro. Os outros dois cearenses da final foram Luciano Praça, campeão cearense júnior 88, em segundo, e Ataliciano “Pirata”, em quarto. No feminino, as irmãs Nogueira repetiram a dobradinha da copa anterior, desta vez com a Isabela vencendo, e deixaram nas outras duas colocações, respectivamente, Ala Luize e Clarice Leão, ambas potiguares. No amador, só deu Ceará, e o favorito no ano ganhou, Seikiti Shinmon, tornando-se o primeiro atleta a vencer uma competição com um bodyboard da marca Gênesis. A última disputa daquele mês foi a segunda etapa do circuito da ABPI, e o vencedor nas duas categorias foi Crisanto Pimentel.

1990 10 1990 5 1990 11

Depois de mais uma vitória de Crisanto Pimentel, na categoria amador júnior, na 2ª Copa Ação, ocorrida nos dias 9 e 10 de junho, no Maranhão, duas etapas do circuito cearense foram realizadas no mês de julho, uma no final da primeira quinzena (14 e 15), e a outra no final da segunda, dias 28 e 29. A primeira etapa do estadual daquele mês foi o 2º Attack Contest, na Praia do Futuro, defronte a barraca Praia Sol, vencendo nas três categorias masculinas os mais cotados da temporada, Seikiti Shinmon (pro/am), Crisanto Pimentel (amador open) e Marcelo Quinderé, na amador júnior. No feminino, Monique venceu. Na outra etapa do Cearense daquele mês, a 1ª Taça Deputado Cláudio Pinho, ocorrida no Icaraí, Rosa venceu na pro/am, Quinderé nas duas amadores, e Kátia no feminino.

A última etapa do estadual daquele ano, e que definiu os campeões da temporada, ocorreu no mês de setembro, dias 15 e 16, na Praia do Futuro, defronte a mesma barraca onde aconteceu a 3ª Copa Cavalo Marinho, e a vitória de Rogério Biola na pro/am, da 2ª Taça Deputado Cláudio Pinho, lhe garantiu o segundo título cearense profissional, o primeiro bicampeonato, em anos não consecutivos, pela ABBC. Seikiti Shinmon venceu na amador open, mas foi o primeiro da história a se tornar campeão cearense, no mesmo ano, em duas categorias (pro/am e amador open). No amador júnior, Luciano Praça levou a etapa, contudo, o campeão da temporada foi Marcelo Quinderé, tornando-se bicampeão cearense da categoria, o primeiro consecutivo pela ABBC. No feminino, Patrícia venceu a etapa, mas a campeã da temporada foi Rafaela Frota. Com encerramento do estadual, todos os esforços foram destinados, exclusivamente, ao circuito brasileiro, que ainda naquele mesmo mês realizou sua primeira etapa, de 27 a 30, em Stella Maris, Salvador/BA. Francisco Rosa (8º no ranking nacional em 1988) e Rogério Biola (8º no ranking nacional em 1989), terminaram a competição na 5ª colocação, mesma situação de Seikiti Shinmon, no amador, confirmando sua ótima fase, já com a condição de bicampeão cearense.

1990 4  1990 12   1990 14 1990 2 1992 10

Mas foi no mês de novembro, mais precisamente no dia 4 (quatro), na Praia do Tombo, em Guarujá/SP, que o estado do Ceará fez história ao vencer a principal categoria do evento. Com o feito, Francisco Rosa se tornou o primeiro “não carioca” a conquistar uma etapa do circuito nacional, mas não ficou “só” nisso e Rogério Biola também subiu no pódio (3º). Nas outras duas etapas, no mês de dezembro, em Santa Catarina e Rio de Janeiro, Rosa e Biola terminaram nas mesmas colocações, 5º e 9º, respectivamente. Diante dos bons resultados, e com uma vitória na segunda etapa, Francisco Rosa terminou o ano na quarta colocação do ranking nacional, Biola em sexto, e Seikiti Shinmon, que terminou em sétimo no amador, também garantiu seu nome na história do Brasileiro, por ter sido o primeiro nordestino entre os top’s da categoria.

1990 9 1990 3 1990 1 1990 8 1990 15

O estado do Ceará ainda teve outras três grandes conquistas naquele ano. Com a aceitação do convite feito pela ABRASB (Associação Brasileira de Bodyboarding), Paulo de Tarso, o “Mano”, se tornou o primeiro árbitro oriundo da arbitragem nordestina, a fazer parte do quadro fixo da entidade e, portanto, julgou toda a temporada. A segunda grande conquista do estado, foi a do fotógrafo cearense Francisco Chagas, que se tornou membro do staff da revista Fluir. E para finalizar, a terceira grande conquista do estado foi nosso maior atleta da época, Francisco Rosa, ter sido incluído em matéria internacional na revista californiana “Bodyboarding”, como um dos 10 melhores bodyboarders do país.

1991

Kung na 4ª Copa CM

A 4ª Copa Cavalo Marinho, foi o primeiro evento do ano 91, e foi realizada no feriadão da semana santa, portanto, de 28 a 31 de março, novamente na Praia do Futuro. Devido ao grande desempenho dos atletas do estado no primeiro ano da década, além, é claro, da tradição de excelentes eventos da marca Cavalo Marinho, a quarta edição da copa não poderia ser diferente e atraiu grandes nomes do esporte nacional, como o pioneiro do esporte no país, Marcos Cal Kung; Cláudio Marques, da associação carioca (ABBERJ); Washington Moraes, da associação paulista (APB); Magoo, da ABBM; o fotógrafo da Fluir, Basílio B. Ruy; Álvaro Gazé, e atletas como Paulo Esteves, então bicampeão brasileiro (88/90), como também a alagoana Bianca Andrade, primeira nordestina campeão brasileira amadora, dentre outros. Com uma participação imensa de 160 atletas, o nordeste não decepcionou e disputou as finais em todas as categorias. Na principal, a pro/am, o carioca Rodolfo Fiúza venceu, mas completaram o pódio dois nordestinos, o maranhense Artur Neto, em segundo, e o cearense Crisanto Pimentel, grande destaque daquele ano, na terceira colocação. Na amador open, uma nova promessa do nosso estado ficou com o título, Melk Lopes, que venceu o carioca Rodolfo Fiuza (2º) e o pernambucano Marcelo Cartaxo (3º). No feminino, também a vitória foi nordestina com a potiguar Cacilda Marinho, e na estreante o local da Ponte Metálica, Eduardo Santos, foi o grande campeão. Ainda tratando da estreante, a terceira colocação foi de um atleta que, sete anos mais tarde, viria a conquistar o primeiro título brasileiro do bodyboarding cearense: Roberto Bruno.    

1991 18 1991 19 1991 15 1991 17

No mês de maio daquele ano, aconteceram dois eventos em outros estados que cearenses se destacaram, e o primeiro deles foi a 2ª Copa Radical, nos dias 3, 4 e 5, no Maranhão, onde Marlus Joca, outra nova promessa do bodyboarding cearense, foi o grande nome da competição, por ter vencido a categoria amador júnior e ficado com a segunda colocação na amador sênior. A outra competição foi a 2ª etapa do Carioca, ocorrido de 24 a 26, no Meio da Barra, e os grandes destaques foram os profissionais Francisco Rosa e Rogério Biola. Rosa, que terminou em segundo, derrotou atletas como Kiko Pacheco e Alexandre de Pontes, o “Xandinho”, e fez uma final emocionante com Guilherme Tâmega. Já Biola, derrotou nomes como Fernando Santos e Fábio Aquino, mas terminou em quinto.  

Logo após, no início do mês seguinte, mais precisamente nos dias 1 e 2, começou o circuito cearense daquela temporada, na Praia do Futuro, defronte a barraca Praia Sol. Na principal categoria, a pro/am, destaque para Gustavo Tavares, que levou o título, derrotando Francisco Rosa na final. Na amador sênior, Crisanto Pimentel confirmou sua grande temporada e venceu. Marcelo Quinderé, então bicampeão cearense consecutivo da categoria, começou sua campanha do tricampeonato e conquistou o título da etapa. No feminino, deu a potiguar Clarice Leão, e na iniciante, com seu primeiro ano em disputa, venceu Roberto Bruno, após ter se destacado na 4ª Copa Cavalo Marinho.

1991 6 1991 9 1991 10 1991 13

No mês de julho, exatamente de 18 a 21, a marca local Cavalo Marinho, juntamente com a grande Morey Boogie, realizaram o primeiro evento em Alagoas, na Praia do Francês, e a enorme premiação foi o fator motivador para a presença de muitos e grandes atletas, dentre eles Tâmega e as irmãs Nogueira, que venceram as principais categorias. Alessandra Santos, a paulista que começou a competir em Alagoas e viria a ser campeã cearense dois anos depois, terminou em terceiro no feminino e o cearense melhor colocado foi Crisanto Pimentel, que conquistou o vice-campeonato no amador. Marlus Joca, terminou em quarto, nessa mesma categoria, e Rogério Biola ganhou a hilariante corrida com “pés-de-pato” na areia.

1991 1 1991 3 1991 12

Duas etapas do Cearense foram realizadas no mês de agosto, ambas na Praia do Futuro, e a primeira delas logo no início, nos dias 3 e 4. Na principal categoria, Rosa deu o troco no Gustavo Tavares, e venceu a final, deixando o adversário com o vice-campeonato do evento. Na amador sênior, Alberto Colares bateu Crisanto, e na amador júnior, Melk Lopes ganhou na final do então bicampeão cearense, Marcelo Quinderé. No feminino, o estado do Rio Grande do Norte voltou a vencer, dessa vez com Cacilda Marinho. A outra competição daquele mês, 3ª etapa do Cearense, começou no último dia, e foi feita com a energia que só a barraca Kafua tinha. Crisanto Pimentel venceu a pro/am, Ériko Vasconcelos a amador sênior, Marlus Joca a amador júnior e Clarice Leão voltou a ganhar no feminino.

1991 11 1991 5 1991 8 1991 2

Depois da 4ª etapa do Cearense, na Praia do Futuro, e da quinta e última etapa do ano, no Icaraí, foram apontados os campeões cearenses da temporada: Francisco Rosa, na profissional, se tornando tricampeão cearense (86/89/91); Na pro/am e amador sênior, Crisanto Pimentel, alcançando o mesmo feito de Shinmon, no ano passado, quando foi campeão cearense em duas categorias; Na amador júnior, Marcelo Quinderé conquistou seu tricampeonato seguido; No feminino, a Barra do Ceará se tornou bicampeã cearense, com ambos títulos na mesma categoria, o primeiro em 1989, com Cristina “Mosquita”, e naquela temporada com Elizângela Furtado. E por fim, na iniciante, o grande campeão cearense do ano foi Francisco Nilson.

1992

Com o fechamento da Ethafoam, empresa que fornecia o bloco para fabricação das pranchas de bodyboard no Brasil e que patrocinava o circuito cearense, o ano foi de crise, motivo pelo qual a temporada só teve uma etapa, contudo, muito especial, porque também serviu como a primeira do inaugural campeonato regional do país, o Nordestino.

Entretanto, antes da referida etapa, mais precisamente nos dias 4 e 5 de março, em João Pessoa, houve o grande encontro de dirigentes nordestinos, onde se deu a criação da primeira entidade regional do esporte, o Conselho de Bodyboard do Nordeste (CBNE). Visando realizar o tão sonhado circuito regional, tendo como objetivo principal o crescimento do esporte no Nordeste, também ficou definido, naquele encontro, que a entidade não teria uma presidência, e sim, uma diretoria, e que o estado do Ceará seria a sede da organização.

1992 4 1992 1   

No mês seguinte, e antes do início do primeiro circuito nordestino, a ABPI inovou e realizou o segundo evento com prioridade para o estilo drop-knee. O “Drop-Knee Contest Night”, foi um evento noturno e aconteceu nos dias 25 e 26 de abril, no “Lido Brabo”, com a primeira bateria, ambos os dias, entrando no mar às 18:00h e a última encerrando às 23:30h. Francisco Rosa, já conhecido mundialmente como um dos melhores no estilo, não desapontou o grande público presente e, repetindo o primeiro evento em 1989, voltou a vencer, executando manobras ousadas, deixando explícito sua superioridade no drop-knee. Biola foi o vice-campeão da competição, com Ériko Vasconcelos e Melk Lopes dividindo a terceira posição. No estilo belly, Leandro Rato levou o título da competição, e a então campeã cearense, Elizângela Furtado, conquistou o feminino.

A Praia do Futuro foi o palco da única etapa do Cearense daquele ano, e também serviu como a primeira de três disputas do preambular circuito nordestino de bodyboarding. Este evento aconteceu nos dias 1 e 2 de agosto, e foi nele que Francisco Rosa conquistou seu tetracampeonato cearense (86/89/91/92). O evento consagrou também a revelação do ano anterior, Marlus Joca, que derrotou Francisco Rosa na semi-final da pro/am, e conquistou o título cearense da temporada, apesar de perder na final para o potiguar Luís Cláudio. Na amador open, Francisco Nilson conquistou seu segundo troféu estadual, já que foi campeão cearense iniciante no ano anterior. No feminino, a campeã cearense da temporada foi Rafaela Frota, conquistando o bicampeonato local (90/92). E, na iniciante, Carlos Augusto, ficou com o título.

1992 7 1992 8 1992 2 1992 5

A 2ª etapa do Nordestino, realizada de 25 a 27 de setembro, em Aracaju/SE, e que contou com a participação, inclusive, de pernambucanos e baianos, o que não aconteceu na anterior, comprovou o domínio cearense na região, já que na principal categoria ocupamos as quatro primeiras colocações, tendo como campeão Alberto Colares. No amador, Marlus Joca venceu, e Melk ficou com a quarta colocação. Apesar de não ter conseguido uma matéria que apontasse os campeões da etapa seguinte, ocorrida em Ponta Negra, Natal/RN, como também da quarta e última, se tiver ocorrido, posso afirmar que dois dos três primeiros campeões nordestinos, e cearenses, foram Francisco Rosa, na profissional, e Marlus Joca, no amador. Paulo de Tarso “Mano”, como head – judge, além de Miguel Ângelo, Régis Damasceno e Alexandre Tavares, foram os árbitros cearenses que se deslocaram e compuseram o quadro técnico destas duas etapas.

1993

1993 4

Depois do Intercolegial Konnder/Pack Way, de surf e bodyboarding, ocorrido nos dias 27 e 28 de março, na Praia do Futuro, realizado através da união da ABBC com a associação de surf (ASF), a temporada começou de fato no mês de maio, mais precisamente nos dias 15 e 16, no mesmo pico, com a consumação da 1ª etapa do circuito cearense. Para surpresa de todos, Alberto Colares venceu a principal categoria, numa disputa envolvendo Melk Lopes (2º) e Francisco Rosa, que terminou em terceiro. Na open, Rayol Lobo faturou o título da etapa, ficando também em segundo, Melk Lopes. No feminino, a paulista Alessandra Santos, agora na condição de residente na “Terra do Sol”, superou a campeã cearense de 1991 e venceu a disputa. Na iniciante, deu Rafael Barreto.

1993 3 1993 2

Nos dias 17 e 18 de julho, cearenses foram competir na 2ª etapa do Pernambucano, que ocorreu na Praia de Boa Viagem, na capital Recife. Melk Lopes ficou com o vice-campeonato na pro/am, perdendo para o pernambucano Marcelo Cartaxo, mas Marlus Joca conquistou o título na segunda mais importante categoria do evento, a amador, numa disputa acirradíssima com um local da nova geração, Luís Bompastor. 

No segundo semestre daquele ano, a Praia do Futuro deu continuidade ao circuito local e sediou também a 2ª etapa, nos dias 9 e 10 de outubro, defronte a barraca Odara, onde se fizeram presentes atletas não somente do estado, mas também do Rio Grande do Norte, Alagoas, Pernambuco, Paraíba e até do Rio de Janeiro. Francisco Rosa, que terminou em terceiro na primeira disputa do Cearense, venceu desta vez, inclusive, conquistando a “expression session”, demonstrando assim a boa fase que se encontrava. No amador open, Alberto Colares superou Marlus Joca e faturou o título da categoria. No feminino, as irmãs Andrade ficaram com as duas primeiras colocações, mas com Juliana à frente. E na iniciante, deu Marcos Flávio. Logo depois, nos dias 23 e 24 de outubro, rolou a terceira etapa do Cearense, mais uma vez na Praia do Futuro, e Francisco Rosa venceu novamente. No amador, deu Marlus Joca, no feminino Alessandra Santos, e na iniciante Rafael Barreto.

1993 6 1993 7 1993 11 1993 13

Ainda no mesmo mês, de 29 a 31 de outubro, com a realização da 1ª disputa do Brasileiro, ocorrida pela primeira vez em Pernambuco, na praia de Maracaípe, o estado do Ceará conquistou sua segunda etapa de circuito nacional, na principal categoria, e novamente com Francisco Rosa que, além de ter vencido o carioca Marcelo Siqueira na final, também derrotou outro nas quartas, o temido Guilherme Tâmega, que veio a se tornar o maior bodyboarder brasileiro da história. No amador, os cearenses conquistaram quatro das cinco primeiras colocações, e Roberto Bruno venceu sua primeira etapa de brasileiro, ficando Melk em segundo, Marlus em quarto e Daniel Beleza em quinto. Dois árbitros cearenses fizeram parte do quadro técnico do evento, Miguel Ângelo e Régis Damasceno.

1993 8 1993 15

Após o término da última etapa do Brasileiro na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, onde Francisco Rosa acabou em quinto e Seikiti Shinmon em nono, na profissional; Melk Lopes em quinto e Roberto Bruno em nono, no amador; o ranking final da temporada ficou assim: na profissional, Rosa 4º, Shinmon 7º; na amador, Melk Lopes foi vice-campeão brasileiro e Roberto Bruno ficou em 6º.

1993 1 1993 12 1993 10

Com o encerramento da quarta e decisiva etapa do Cearense, no Icaraí, realizada somente no mês de janeiro do ano seguinte, e que teve “dobradinhas” dos irmãos Beleza, na pro/am, e das irmãs Andrade, no feminino, foram definidos os campeões da temporada: Francisco Rosa, na profissional e pro/am, chegando ao seu sexto título local; Melk Lopes, na amador, conquistando seu primeiro título cearense; Alessandra Santos, no feminino, também com sua primeira conquista; além de Rafael Barreto, na iniciante.

1994

1994 3

A 1ª etapa do Cearense daquele ano, realizada no começo da temporada, na barraca Odara, Praia do Futuro, impressionou pelo tamanho do palanque, e surpreendeu pela eliminação, logo na primeira fase, do grande Francisco Rosa. Melk Lopes, com a condição de representante brasileiro no mundial amador, venceu a etapa na mesma categoria, e Rafael Barreto, campeão cearense iniciante 1993, e que subiu de nível, também foi outro destaque, terminando em terceiro. Os irmãos Beleza completaram o pódio. No feminino, a então campeã cearense, Alessandra Santos, acabou perdendo para a “desconhecida” Joana Nóbrega, esta que acabou se transformando numa das maiores atletas do estado. Já na principal categoria, Alberto Colares voltou a vencer, deixando Gustavo Tavares na segunda colocação, e novamente os irmãos Beleza (com Célio em terceiro), completaram o pódio.

1994 4  1994 2  1994 1 

Depois de um ano sem regional, o circuito nordestino voltou a ser realizado e sua primeira etapa aconteceu nos dias 5 e 6 de fevereiro, em Ponta Negra, Natal. O então e único campeão nordestino, Francisco Rosa, mostrou porque era o melhor da região e venceu a disputa, na principal categoria, derrotando a revelação do evento, o potiguar Daniel Dantas. Célio Beleza e Marlus Joca, terminaram em terceiro. No amador, Daniel Beleza confirmou sua grande fase e conquistou o título superando na final três locais.

A 1ª etapa do Carioca, ocorrido na semana santa daquele ano, na praia de Ipanema, teve a participação de três atletas cearenses: os irmãos “Beleza”, além do profissional Seikiti Shinmon. Entretanto, o único que foi considerado um destaque, terminando em 9ª no amador, foi Célio Beleza.

1994 6 1994 5

No mês de abril daquele ano, dois eventos foram realizados no mesmo final de semana, o Transamérica Intercolegial de Surf e Bodyboard e o 1º Championship de Bodyboarding. Esses eventos aconteceram nos dias 23 e 24 de abril, o primeiro na Praia do Futuro e o outro na Ponte Metálica, mas o vencedor em ambos foi único, Melk Lopes, provando porque era o melhor da categoria naquela temporada.

Depois da 3ª etapa do Cearense, ocorrida nos dias 24 e 25 de setembro, na Praia do Futuro, e vencida na pro/am por Roberto Bruno, Melk Lopes na amador e Joana Nóbrega no feminino, aconteceu a quarta e última etapa, no Icaraí, que só pôde ser realizada nos dias 28 e 29 de janeiro do ano seguinte, evento denominado “Water Fall de Bodyboarding”. A grande novidade deste evento foi a categoria máster, para atletas acima de 25 anos, vencida na oportunidade por Ériko Vasconcelos, que se tornou, com isso, o primeiro campeão cearense do nível. Melk Lopes foi o grande nome da disputa, pois venceu em duas categorias, a principal e a sua (amador), fato que provocou seu bicampeonato local. Na pro/am, a eliminação prematura do líder do ranking até então, Gustavo Tavares, e a quarta colocação obtida por Francisco Rosa, deram a este o oitavo título cearense (pro/am 93/94 e pro 86/89/91/92/93/94), e portanto, também, o tetracampeonato seguido da profissional. No feminino, a alagoana bicampeã brasileira amadora, Bianca Andrade, venceu o evento, mas o vice-campeonato da etapa, de Joana Nóbrega, o tornava campeã cearense pela primeira vez. Na iniciante, Rafael Filizola conquistou o título local.

1994 8 1994 9 1994 10

No brasileiro daquela temporada, os cearenses não foram bem, mas na segunda disputa, em Porto de Galinhas, Pernambuco, Rosa e Melk dividiram a terceira colocação da principal categoria, enquanto que Shinmon terminou em quinto. No amador, Roberto Bruno ficou com o terceiro posto.

Apesar de não ter obtido matéria jornalística da época, sobre a última etapa do Nordestino, posso afirmar que Francisco Rosa conquistou o bicampeonato regional, na principal categoria, e Daniel Beleza foi campeão nordestino, no amador.

1995

1995 7

Aquele ano começou diferente, já que, e devido a mudança de diretoria na maior entidade do esporte no país, foi a primeira vez que ocorreu etapa do circuito nacional no primeiro semestre. A 1ª Copa Brasil, realizada em Florianópolis, de 17 a 19 de fevereiro, teve como destaques cearenses Seikiti Shinmon e Célio Beleza, o primeiro na profissional e o outro no amador. Shinmon, depois de conquistar a 17ª colocação no último mundial que só era realizado no Havaí, terminou essa etapa do Brasileiro em quinto. Já Célio Beleza, chegou a final depois de ter vencido, inclusive, Paulo Barcellos, que viria a se tornar campeão mundial profissional cinco anos depois, entretanto, nesse novo duelo, acabou perdendo e terminando em quarto.

1995 1 1995 19 1995 2

A primeira etapa do Nordestino daquele ano, e que viria a ser a única, ocorreu nos dias 28 e 29 de abril, na Barra de São Miguel, em Maceió, e mais um cearense se tornou campeão regional na principal categoria. Depois do domínio absoluto de Francisco Rosa nos dois primeiros regionais (92/94) e com a derrota dele já na primeira fase do evento, Gustavo Tavares venceu na final Melk Lopes (2º), Roberto Bruno (3º) e Luís Gustavo (4º), se tornando o terceiro cearense seguido a ser campeão do Nordeste. De quebra, Roberto Bruno também obteve esse título, mas na categoria amadora, onde Daniel Beleza (então campeão nordestino amador) terminou em segundo, e o irmão daquele Luís Gustavo, em quarto. No feminino, deu Bianca Andrade, mas nossa Joana Nóbrega foi vice-campeã.

1995 6 1995 5NEYMARA

Na semana santa daquela temporada, a Taíba voltou a sediar, depois de três anos de ausência, mais uma Copa Cavalo Marinho e, portanto, a quinta edição, sendo que, desta vez, ela também serviu como a segunda etapa do circuito brasileiro. O evento aconteceu no período de 13 a 16 de abril, e reuniu estrelas como a alagoana bicampeã brasileira, Bianca Andrade, como também Soraia Rocha (campeã brasileira daquele ano), Karla Costa e, pela primeira vez, Neymara Carvalho, aquela que viria a se tornar a maior bodyboarder da história do esporte, no planeta. Os cearenses, melhores colocados na competição, foram Wandson Mendes, que venceu a iniciante, seguido pelo conterrâneo Renato Soares, além de Roger Victor, na máster, que perdeu na final para o grande Cláudio Marques.

1995 10 1995 13

O circuito cearense de bodyboarding deu seu pontapé inicial nos dias 17 e 18 de junho, na Praia do Futuro, com a realização da primeira etapa, e a ABBC inovou ao utilizar, de maneira pioneira na história das competições do esporte local, o mais avançado sistema de notas existente na época, o “Beach & Byte”, que fornecia, a todo instante, o resultado parcial de todas as baterias. Roberto Bruno foi o grande nome da competição, vencendo tanto na principal categoria, como no amador. No feminino, deu a favorita Joana Nóbrega; na iniciante, Nicolas Falcão; e na máster, Roger Victor.  

A 2ª etapa do Cearense daquele ano, aconteceu nos dias 22 e 23 de julho, defronte a barraca Atalaia, e novamente na Praia do Futuro, mas desta vez o grande nome do evento foi Alberto Colares, que venceu a pro/am e terminou em segundo na amador. Rafael Barreto venceu a open, Bianca Andrade a feminina, Marcelo Quinderé a máster e Renato Soares a iniciante.

1995 12  1995 8 1995 18

Uma semana depois e, portanto, ainda no mês de julho, mais precisamente de 27 a 30, a praia de Pitangueiras, Canto do Maluf, em Guarujá, São Paulo, foi palco de uma das maiores vitórias que o bodyboarding cearense já teve em toda sua história. Tratava-se da primeira etapa de mundial no país, com o novo formato que deixou para trás aquele que só era realizado no Havaí. O Sthill World Bodyboard Contest, valendo como 6ª etapa do Mundial, teve como vencedor na principal categoria, nada mais, nada menos, que um cearense, e este foi Melk Lopes, então bicampeão local amador (93/94). Numa final envolvendo o carioca Jefferson Anute, que viria a ser campeão brasileiro quatro anos mais tarde; o havaiano Jacky Buder; além do fenômeno Guilherme Tâmega, que dominou toda a bateria, Melk virou na última onda e carimbou seu nome na história do esporte. Essa vitória de Melk, portanto, foi a inaugural de um brasileiro na primeira etapa de circuito mundial realizada no país. Outro grande feito cearense na competição, foi a vitória de Rogério Biola, nas quartas de final, sobre Mike Stewart, o havaiano então nove vezes campeão mundial. “Foi a maior vitória da minha vida”, disse Biola, chorando muito. Para completar a festa cearense, Luís Gustavo, da família Costa, conquistou o vice-campeonato, no amador, e Paulo de Tarso, o “Mano”, foi o único árbitro oriundo do Nordeste a participar do julgamento daquele evento, apesar de ter se negado a trabalhar na final da principal categoria, tendo em vista o estado emocional que se encontrava por conta da presença de um competidor cearense. Paulo de Tarso ainda, na condição também de presidente da nossa entidade, ajudou financeiramente, durante aquele evento, o campeão Melk Lopes, que viajou apenas com R$100,00 (cem reais), tendo em vista que o recurso dele tinha se acabado na metade da competição.

1995 15 1995 16   

Luís Gustavo – vindo de um excelente resultado em Guarujá e outro em Pernambuco, onde ganhou a segunda etapa do circuito local – faturou também a principal categoria da 3ª etapa do Cearense, realizada nos dias 30/9 e 1/10, no Icaraí, e seu irmão mais novo, Roberto Bruno, levou no amador. Após a realização da quarta e última etapa, defronte a barraca Lobo do Mar, na Praia do Futuro, vencida por Roberto Bruno nas duas principais categorias e Joana Nóbrega no feminino, como também Wandson Mendes na iniciante, foram definidos os campeões cearenses da temporada: Na profissional, Melk Lopes; na pro/am e amador, Roberto Bruno, repetindo feito de Seikiti Shinmon em 1990, e Crisanto Pimentel em 1991, quando eles ganharam duas categorias no mesmo ano; No feminino, Joana Nóbrega conquistou o bicampeonato consecutivo, e na iniciante o campeão cearense foi Wandson Mendes.

1995 3 1995 17 1995 9

No ranking brasileiro, Seikiti Shinmon terminou o ano em quarto, enquanto Melk Lopes em quinto, ambos, na principal categoria. No amador, Luis Gustavo ficou em sexto e Célio Beleza em oitavo. Ainda naquele ano, Francisco Rosa e Rogério Biola idealizaram e criaram a OBP-NE (Organização dos Bodyboarders Profissionais), tendo como apoiador Seikiti Shinmon e diretor técnico Régis Damasceno, e tinha como intuito a realização de campeonatos de médio porte, paralelamente ao circuito cearense, visando surgimento de novos profissionais, e já no seu primeiro evento Roberto Bruno, então bicampeão cearense, ficou com o título.     

1996

1996 11

O ano de 1996, diante dos arquivos que conseguimos, começou com a realização da 1ª etapa do primeiro circuito da OBP, nos dias 15 e 16 de junho, defronte a barraca Crocodilo, Praia do Futuro, e Roberto Bruno foi o grande destaque, pois venceu na categoria profissional e ficou em segundo no amador. Joana Nóbrega, na condição de bicampeã cearense, conquistou o feminino.

1996 10 1996 3

A 2ª etapa da Copa Nordeste de Bodyboarding, realizada de 13 a 15 de julho, na Praia do Rainha, em Maceió, foi a única que conseguimos arquivo da época, e o cearense Melk Lopes conquistou a principal categoria. Alberto Colares terminou em quarto, na profissional, mesma colocação de Wandson Mendes, na open. Portanto, não sabemos o resultado da primeira etapa do Nordestino daquele ano, muito menos de uma outra que tenha ocorrido, e por isso, não temos conhecimento dos campeões nordestinos daquela temporada. Ainda no mesmo mês, aconteceu a 1ª etapa do Pernambucano, nos dias 27 e 28 de julho, na baía de Maracaípe, e o então tricampeão cearense (am 93/94 e pro 95), Melk Lopes, também foi o grande campeão na profissional.

1996 7 1996 81996 2

Logo no começo do mês seguinte, foi dada a largada do Cearense, já que aconteceu sua primeira etapa nos dias 3 e 4, na Praia do Futuro. Roberto Bruno ganhou as duas principais categorias, e no feminino, Bianca Andrade venceu, deixando a cearense melhor colocada, Nadja Bezerra, com a segunda colocação. Ainda em agosto, mais precisamente nos dias 23 e 24, rolou novamente na baía de Maracaípe, em Porto de Galinhas, a 2ª etapa do Pernambucano, e Melk Lopes outra vez subiu no mais alto lugar do pódio. Com a terceira colocação na terceira e última etapa do Pernambucano, ocorrido nos dias 14 e 15 de dezembro, em Maracaípe, Melk Lopes foi o grande campeão na profissional. Paralelamente, no mesmo final de semana, aconteceu no Icaraí a 2ª etapa do OBP, e os bodyboarders da família Costa foram os grandes destaques, com Luis Gustavo vencendo na profissional e Roberto Bruno na open. Joana Nóbrega ganhou no feminino, Wagner Cordeiro na máster e Fábio Arruda na iniciante.

1996 1 1996 14 1996 16

De volta a Pitangueiras, Canto do Maluf, em Guarujá/SP, a 6ª etapa do Mundial da temporada rolou no período de 19 a 22 de setembro, e a delegação cearense, agora respeitada mundialmente, principalmente devido aquela vitória do Melk Lopes, obteve dois outros bons resultados: Roberto Bruno foi vice-campeão no amador masculino, e nossa Joana Nóbrega venceu no amador feminino.

1996 13 1996 12 1996 5 1996 15

A 3ª etapa do circuito da OBP, aconteceu nos dias 15 e 16 de novembro, na Praia do Futuro, e Roberto Bruno fez dobradinha porque ganhou as duas únicas categorias em disputa. Na quarta etapa, realizada em dezembro, Roberto Bruno voltou a faturar, contudo, somente no amador, porque Alberto Colares venceu na pro/am, numa final que teve Melk Lopes (2º) e Francisco Rosa (3º). Também em dezembro rolou a terceira e última etapa do circuito local daquele ano, mais precisamente no começo do mês, dias 7 e 8, na Praia do Futuro, onde Roberto Bruno repetiu a dobradinha vencendo as duas principais categorias e, com isso, se tornou tetracampeão cearense, já que repetiu o feito do ano passado, onde foi campeão em dois níveis. No profissional, Alberto Colares, o “Betim”, conquistou seu primeiro título cearense; no feminino Joana Nóbrega alcançou seu tricampeonato estadual seguido; e no iniciante deu Emílio Tavares.

Para finalizar, ainda naquele ano, Rogério Biola resolveu morar no Havai, e o bodyboarding local ganhou uma terceira entidade: CBBC (Clube de Bodyboard da Barra do Ceará).

1997

1997 8

Aquela temporada começou trocando o dia pela noite, pois o “Prevcon Pró Night”, válido como a 1ª etapa do Cearense, e que rolou nos dias 21 e 22 de março, na Praia de Iracema, foi um evento noturno e teve como organizadores Francisco Rosa e Eduardo Porto. Para que isso fosse possível, utilizaram dois conjuntos de refletores e quem levou a melhor foi Gustavo Tavares, que deixou Luis Gustavo em segundo, Alberto Colares em terceiro, e o pernambucano Diego Cabral em quarto.

1997 2 1997 1

O grande resultado cearense daquele ano foi, sem dúvida nenhuma, na 3ª etapa do Brasileiro, ocorrido de 23 a 25 de maio, na Baía de Maracaípe, Porto de Galinhas, em Pernambuco, tendo em vista que, na principal categoria, Francisco Rosa conquistou, pela terceira vez, uma disputa de circuito nacional, vencendo na final outros dois cearenses, Roberto Bruno (2º) e Gustavo Tavares, que dividiu a terceira colocação com o sergipano Alberto Gama. No amador, valendo pontos para o Nordestino, os cearenses também tiveram boas colocações, pois Fagner Rondinelle terminou em sétimo, dividindo posição com Célio Beleza. No amador feminino, nossa Joana Nóbrega conquistou o quarto lugar.

1997 4 1997 9 1997 5

Após a realização da 2ª etapa do Cearense no Icaraí, e da 3ª etapa nos dias 22 e 23 de novembro, defronte a barraca Rebu, na Praia do Futuro, que teve o tetracampeonato antecipado de Joana Nóbrega, os outros campeões cearenses da temporada foram: Roberto Bruno, conquistando seu primeiro título como profissional; Jander Carvalho, no amador open; e Alexandre Ferreira, no iniciante.

A OBP também fez seu circuito, pois conseguimos um arquivo anunciando a quarta e última etapa, que foi realizada nos dias 13 e 14 de dezembro, na Praia do Futuro, mas infelizmente não obtivemos outro com o resultado. Entretanto, no mesmo arquivo, encontramos relato da excelente participação de Célio Beleza no circuito carioca daquela temporada, onde disputou quatro de seis etapas e terminou em terceiro no ranking do amador.

1997 6 1997 7

Ainda naquele ano, na 4ª etapa do Brasileiro, em Itacoatiara, Niterói/RJ, dois cearenses se destacaram, o campeão nordestino de 95, Gustavo Tavares, e a tetracampeã local, Joana Nóbrega. Gustavo, apesar da boa participação, não obteve um grande resultado, entretanto, Joana foi campeã no amador feminino e também conseguiu ser finalista na profissional, terminando em quarto, numa disputa que envolveu a campeã brasileira daquele ano, a paulista Lissandra Tutty, além da então campeã mundial Daniela Freitas e da campeã nacional de 1995, a catarinense Soraia Rocha.

1998

O ano em tela, considerado um dos mais importante daquela década do bodyboarding cearense, senão o mais importante de sua história, começou com uma competição no final do mês de março, a 1ª etapa do OBP, realizada defronte a barraca Itapariká, na Praia do Futuro, e a grande atração foi a presença do então tetracampeão mundial de bodyboarding, o carioca Guilherme Tâmega, que no dia anterior ministrou, pela primeira vez no estado, uma palestra sobre sua carreira vitoriosa. O evento foi vencido por Luís Gustavo, na pro/am, que deixou o irmão, Roberto Bruno, em segundo. No feminino, a bicampeã cearense (90/92) e então nova árbitra da ABBC, Rafaela Frota, foi a grande vencedora. Renato Casas, outro atleta que se tornou árbitro e hoje pertence ao quadro da ACEAB (Associação Cearense dos Árbitros de Bodyboarding), conquistou o título da iniciante, e Alexandre Ferreira venceu no amador.

1998 27 1998 21 1998 9

No mês seguinte, portanto, em abril, foi o início da trajetória para o título masculino mais importante do bodyboarding local naquela década, ou até mesmo por toda a história cearense, já que aconteceu a 1ª etapa do Brasileiro, realizada de 10 a 12, na Baía de Maracaípe, Porto de Galinhas, em Pernambuco. Roberto Bruno, o primeiro e até agora único cearense a ser campeão brasileiro, na principal categoria do masculino, e que conquistaria esse título naquele ano, ficou em terceiro na etapa, com Alberto Colares em quinto e Rosa em nono. Joana Nóbrega também terminou em terceiro no feminino, e Jander Carvalho em quarto no amador.

1998 7 1998 22 1998 23

A 2ª etapa do Brasileiro, ocorrida nos dias 1 e 2 de agosto, realizada pela primeira vez na Praia do Francês, em Alagoas, teve duas dobradinhas cearenses, uma na principal categoria, com a quarta conquista de Francisco Rosa em etapa de circuito nacional, deixando Roberto Bruno com a segunda colocação, e a outra no amador masculino, com Guilherme Cauê vencendo Marcelo Freitas. Uma semana depois, rolou a terceira etapa nordestina, seguida, do circuito brasileiro, mais precisamente nos dias 7, 8 e 9, na Praia do Atalaia, em Aracaju, e Roberto Bruno assumiu a liderança do ranking nacional ao terminar em segundo na profissional. Na mesma categoria, Gustavo Tavares também chegou à final, e acabou em terceiro. Outra colocação expressiva de um cearense naquele evento, foi a quarta colocação de Fagner Rondinelle, no amador masculino. Ainda em agosto, de 26 a 30, Seikiti Shinmon, Luís Gustavo e Roberto Bruno, este como o mais novo integrante da equipe Redley, disputaram a 2ª etapa do Mundial, na Praia Grande, em Portugal, e logo em seguida, já em setembro, de 4 a 10, a 3ª etapa na Ilha Reunião, do continente africano, contudo, não conseguimos arquivos com os respectivos resultados nos dois eventos.

1998 24 1998 11 1998 8 

O início do circuito cearense daquele ano só aconteceu em setembro, nos dias 12 e 13, ao lado da barraca Icaraí Praia e Sol, no Icaraí, e a grande novidade da temporada era a premiação de uma motocicleta zero quilômetro para o campeão da principal categoria. Fagner Rondinelle, depois da boa colocação conquistada na última etapa do Brasileiro, passou pelos favoritos e partiu na frente nessa disputa, levando o título da profissional. Juan Garcia venceu no amador, e Joana Nóbrega no feminino, iniciando sua campanha do pentacampeonato estadual. Rodrigo Almeida e Tainan Monte, foram os vencedores nas categorias iniciante A e B, respectivamente, outra novidade do certame. Ainda em setembro, aconteceu a 1ª etapa do Nordestino, nos dias 26 e 27, na Praia de Ponta Negra, em Natal, e o domínio foi todo cearense, com a vitória de Roberto Bruno, na profissional, derrotando Luís Gustavo (2º), Francisco Rosa (3º) e Felipe Ramos (4º). No amador, Rinaldo César ficou com o vice-campeonato.

1998 25 1998 10

 A 4ª etapa do Brasileiro foi realizada nos dias 10, 11 e 12 de outubro, no point do Barrote, Jacaraípe, Vitória/ES, e Melk Lopes foi o nome da vez, porque chegou a final e terminou em quarto na categoria principal. Rosa, Bruno e Gustavo Tavares, obtiveram a mesma colocação, o nono lugar, mas foi o suficiente para o cearense manter sua liderança no ranking, e Rosa assumir o quarto posto. No feminino, Joana terminou em quinto na pro/am, e chegou à final do amador, conquistando a terceira colocação. Para completar, Fagner Rondinelle foi o vice-campeão no amador masculino, assumindo também a vice-liderança do ranking. Logo depois, Melk Lopes voltou a subir no pódio, mas vencendo a 2ª etapa do Paulista, nos dias 24 e 25 de outubro, no evento denominando “Festival Genesis de Bodyboard”, realizado na Praia de Itanhaém.

1998 151998 4 1998 6

A 2ª etapa do Cearense, que começou no dia 31/10 e terminou no dia seguinte, já em novembro, e que ocorreu defronte a barraca Oceania, na Praia do Futuro, estabeleceu novo recorde de participantes, 134 atletas, e com isso levou o circuito para a condição de maior do país. Com quase toda a imprensa cearense presente, além da cobertura nacional feita pela revista “Ride It!” e o website “Bodyboard Brasil”, Roberto Bruno tratou de conquistar o título na profissional, deixando seu irmão Luís Gustavo em segundo. No feminino, Rafaela Frota venceu a favorita Joana Nóbrega e levou o troféu da etapa. No amador, Jander Carvalho ganhou, Rodrigo Almeida venceu o iniciante A, e Daniel Cunha o iniciante B. No final do mês, mais precisamente nos dias 28 e 29 de novembro, na Praia do Futuro, rolou a terceira etapa, e Luís Gustavo deu o troco no irmão, conquistando o título da categoria principal. No amador, o título foi para o Icaraí, com Marcelo Freitas, e no feminino Joana Nóbrega venceu e se tornou, antecipadamente, a primeira pentacampeã cearense da história. A atleta Amaya Takei, que terminou em segundo no feminino, foi considerada a revelação do evento e da temporada. No iniciante A, deu Luís Carlos, e no B, a vitória foi de Tainan Monte, que deixou Fábio Rodrigues com a segunda colocação.

1998 17 1998 1

Com o título garantido do circuito cearense, Joana Nóbrega resolveu se profissionalizar e já no início do mês de dezembro, venceu a 4ª etapa do Carioca.

No dia 5 de janeiro do ano seguinte, a OBBP, entidade maior do esporte no país, anunciou cancelamento das duas últimas etapas do Brasileiro, fato que provocou a inclusão do nome de Roberto Bruno na história nacional do esporte, pois ele liderava o ranking e se tornou o primeiro nordestino campeão brasileiro profissional. Para completar, o também cearense Fagner Rondinelle conquistou o vice-campeonato brasileiro amador, e Guilherme Cauê o quarto posto. Ainda sobre o ranking nacional na principal categoria, Rosa terminou em quarto, e Melk em sexto. No mesmo anúncio, a OBBP também informou que o comando do esporte no país passaria a ser da CBRASB (Confederação Brasileira de Bodyboard), inclusive, o circuito nacional do ano de 1999.

1998 19 1998 20 1998 26 1998 28

Quatro dias depois, o circuito cearense da temporada 98 foi encerrado, com a realização da quarta e última etapa, nos dias 9 e 10 de janeiro, no Icaraí, e quem faturou a motocicleta zero quilômetro foi Luís Gustavo, que conquistou, assim, seu primeiro título cearense. No amador, Juan Garcia foi o campeão local, enquanto que no iniciante A deu Rodrigo Almeida, e no B Tainan Monte, todos três conquistando seus primeiros títulos cearenses.

1998 2 1998 3 1998 12

E por fim, naquela temporada, grande foi a contribuição do fundador da ACEAB, Amadeu Júnior, pois fez parte do quadro técnico da ABBC, como árbitro, aparecendo numa das imagens da maior etapa local, ao lado do atual locutor do circuito cearense, Ednardo Peixoto, mas também porque esteve à frente, como editor, do único veículo de divulgação cearense da época, o Bodynews.    

1999

1999 5

Em se tratando de arquivos, o ano de 1999 foi o pior deles, pois consegui poucos, mas o suficiente para apontar, principalmente, os campeões locais da temporada.

A primeira grande vitória cearense do ano, ocorreu, coincidentemente, na primeira etapa de circuito nacional realizado no estado, de 23 a 25 de abril, no Icaraí, mas válida como a 2ª etapa do brasileiro daquele período. O “Smolder Bodyboard Contest”, contou com a presença de estrelas como os cariocas Fábio Aquino e Daniela Freitas, além das capixabas Neymara Carvalho e Maylla Venturin. O então campeão cearense, Luís Gustavo, foi o grande triunfador na principal categoria da etapa, derrotando na final o carioca Hermano Castro. Outro cearense bem colocado na competição foi Melk Lopes, que terminou em quarto na profissional. Na principal categoria do feminino, as referidas capixabas dominaram, com Neymara levando o troféu. No amador masculino, domínio cearense, com a vitória de Jander Carvalho (campeão cearense amador 1997) e o segundo posto de Rodrigo Almeida. Já no amador feminino, nova dobradinha capixaba, mas na mirim os cearenses voltaram a dominar, e o título foi de Tainan Monte, então campeão cearense iniciante B.

1999 7  1999 10

Já em junho, quando foi realizada a 3ª etapa do Brasileiro, nos dias 11, 12 e 13, na praia de Stella Maris, em Salvador/BA, quem conquistou um grande resultado foi o então campeão brasileiro profissional, Roberto Bruno, vencendo sua primeira etapa de circuito nacional na categoria, com Francisco Rosa dividindo a terceira colocação com o carioca José Otávio, campeão brasileiro em 1997. Mas, naquele ano, outro cearense fez história, conquistando o título nacional na categoria mirim, Vladinir Maciel, que em 2013 foi campeão cearense máster e hoje é árbitro da ACEAB.

1999 1 1999 2

Depois da 2ª etapa do Cearense, nos dias 18 e 19 de setembro, defronte a barraca Mandacaru, na Praia do Futuro, e a terceira e última realizada também na mesma praia, foram definidos os campeões cearenses da temporada: Roberto Bruno, conquistou seu segundo título cearense como profissional; No amador, Marcelo Freitas ganhou seu primeiro campeonato local; No feminino, Amaya Takei, que foi a revelação do ano passado, também conquistou seu primeiro título cearense; No iniciante, deu Antônio Camilo; na mirim, Tainan Monte alcançou seu bicampeonato local; e na estreante, o campeão da temporada foi Samuel Martins. Dois outros fatos também foram muito importantes naquele último ano de década, a 9ª colocação de Roberto Bruno na etapa portuguesa do mundial, em Sintra, sendo o segundo melhor brasileiro da competição, além da criação da FCB (Federação Cearense de Bodyboarding), que depois veio a se tornar FBCE (Federação de Bodyboarding do Ceará).

1999 4 1999 6

Fontes:

Jornal Ação Bodyboarding;

Jornal Rollo;

Jornal Instant;

Informativo ACBB;

Informativo da Associação de Surf do Ceará;

Ceará Surf;

Surfguru;

Waves;

Jornal Diário do Nordeste;

Jornal O Povo;

Blog da Ana Lyvia Martins;

Blog da Dalete Mousinho;

Site e blog do Roberto Bruno;

Blog da Isabela Sousa;

Bodynews;

Craud.net;

Cbrasb;

Jornal The Surf Press;

Revista Extra Magazine.

 

 

Escrito por Marley Farias Araújo (Marley Araújo)

Imagens editadas por Marley Farias Araújo (Marley Araújo)

 

     

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s