FREESURFING X COMPETIÇÃO

Por Amadeu Júnior.

Desde a organização do esporte, o bodyboarding de competição confrontado com a prática do freesurf, motivou discussões apaixonadas, usualmente sem consenso de ambos os lados. A questão é filosófica, por não dizer quase religiosa, na qual os praticantes livres acusam os competidores de fazer tudo por recompensa, seja em equipamentos ou dinheiro, enquanto eles, os freesurfers, teriam um contato mais romântico com o mar e natureza, livres de regras, stress e…buzinas.

Já os competidores afirmam que o progresso tecnológico do esporte, relacionado à pesquisa de novos materiais para bodyboards, nadadeiras, além de roupas adequadas, é inerente ao processo competitivo. Pautam também, que existe toda uma preparação física e mental acompanhando a evolução dos atletas, o que seria benéfico para o esporte como um todo.

Pessoalmente, vivenciei as duas faces da moeda ao longo dos últimos vinte anos. De um lado, estava presente na organização das mais diversas competições de bodyboarding no nosso Estado, acompanhando e incentivando a evolução esportiva de grande parte dos competidores. De outra forma, nos momentos de folga, praticava o freebodyboarding principalmente nas ondas do Icaraí. A sensação de liberdade é tremenda, sem regras, sem desafios temporais, sem cobranças. Porém, o ambiente competitivo também é gratificante, com a concretização do trabalho que foi meticulosamente planejado e realizado.

O debate continua, mas uma verdade reluz: independente de ser você um competidor ou um freesurfer, o importante é estar no mar e fazer o que gosta!

Depoimentos…

“Freesurfers e competidores têm cotidianos bem diferentes. Sou competidor e digo que não existe coisa mais prazerosa do que competir. Não existe nada comparável a adrenalina, além de se poder mostrar todo seu potencial e comparar seu nível técnico com os demais atletas. Respeito por demais quem se dedica ao freesurf, mas competir é demais!”

(Gleidson Melo, competidor profissional desde 2006, local da Praia do Sobral, Maceió/AL)

“O free bodyboarding está ligado à falta de preocupação em se ganhar algo ou ganhar de alguém; em superar a si mesmo em contraposição a superar o(s) outro(s)”; à opção de reunir amigos, vivenciando a plenitude de amizades e eventos familiares também dentro d´água; ao fato de não ser necessário prestar contas e/ou renovar contratos diante de possíveis patrocinadores; a maestria de evoluir sem pensar em premiações. Contudo, acredito que tanto o free bodyboarding, quanto o bodyboarding de competição, geram a oportunidade de se progredir numa modalidade esportiva fantástica”.

(Victor Castelo Krichanã, Cabo do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará, Bacharel em Turismo, Especialista em Atividade Física, Qualidade de Vida e Envelhecimento).

One comment

  1. Bacana o tema, o surf livre é a essência do esporte, o competição é compensador pelo fato do ser humano ter essa coisa de comparação e competitividade na natureza dele, antes de nascemos somos compelidos na competição da vida hehehehe vencedores embrionários em uma competição natural pela vida hehehehehe acho que se mistura um pouco disso!! Mas os dois são bacanas, gosto mais do surf livre, mas aprecio boas disputas hehehhehhehehehe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s