CONFRATERNIZAÇÃO INESQUECÍVEL

Diante da Pedra da Gávea, num mágico e excêntrico congraçamento que envolveu também várias histórias de superação e realização, aconteceu no último feriadão encontro inédito dos mais antigos atletas do bodyboarding nacional, numa disputa por equipes que já se tornou histórica e inesquecível para todos.

O “Bodyboard Legends 2018” ocorreu, portanto, de 02 (dois) a 04 (quatro) de novembro, no Rio de Janeiro, mais precisamente no Postinho da Barra da Tijuca, defronte a barraca Yndú Beach Lounge (um dos patrocinadores do evento). Foi realizado pelo grande Marcello Pedro (campeão carioca 1995) e reuniu 69 (sessenta e nove) atletas dos principais estados do bodyboarding brasileiro, que foram divididos em 14 (catorze) equipes. Dentre os competidores, vários precursores, como o primeiro bodyboarder do país (Marcus Carl Kung), a primeira bodyboarder da nossa nação (Gica Vargas), o primeiro não havaiano que figurou entre os dez melhores do mundo na inicial participação brasileira num mundial em 1986 (Cláudio Marques), a primeira campeã brasileira (Mariana Nogueira), a segunda campeã nacional (Isabela Nogueira), a única catarinense campeã mundial (Soraia Rocha), a capixaba mais vezes campeã mundial da história do esporte (Neymara Carvalho), o maior formador de novos campeões no Brasil (Anderson Pinto “Gordinho”), além de Kiko Ebert (sétimo no mundial de 1988), Daniel Rocha (o atleta mais novo a vencer uma etapa do brasileiro na categoria amadora em 1989) e o pioneiro português Paulo Costa. Se fizeram presentes também, como atletas, dois grandes dirigentes dos principais circuitos masteres daquele estado: Rodrigo Monteiro (Rio Bodyboarding Master Series) e Robson Costa (G80).

No primeiro dia do encontro não houve competição, e sim, várias atividades, inclusive, a abertura oficial no final da tarde, que contou com um Marcello Pedro completamente emocionado (na presença de seus familiares) e um painel de entrevistas com grandes estrelas do nosso esporte, dentre elas, a primeira campeã mundial (Glenda Kozlowski), o campeão mundial Paulo Barcellos, além do grande Ricardo Bocão, apontado naquela ocasião como o surfista que mais apoiou o bodyboarding brasileiro.

As competições aconteceram nos outros dois dias com ondas de meio metro no sábado (chegando a meio metrão nas maiores das séries) e um metro no domingo (chegando a um metro e meio), devido entrada de um swell. Nosso Ceará, como de costume, não poderia ficar de fora e se fez presente naquele grande evento com a segunda maior representatividade (juntamente com Espírito Santo). Cinco foram os guerreiros: Alberto Maia (semifinalista estreante da 2ª Copa Cavalo Marinho), Marlus Joca (campeão cearense e nordestino amador em 1992), Eriko Vasconcelos (primeiro campeão cearense máster em 1994), Thiago H.B. (campeão sênior do circuito G80 2018) e minha pessoa (campeão da segunda etapa da primeira temporada da categoria lendários do Circuito Master Vip Francisco Rosa).

Ériko Vasconcelos, ainda rouco, nos revelou que dias antes do evento, quando já estava pronto para dormir com sua esposa, Marcello Pedro lhe ligou exigindo sua presença no histórico encontro. E não deu outra. Para ele, a viagem foi emocionante, o reencontro excelente, como também, o tratamento dado pelos cariocas. E disse mais: “Já me sinto lá ano que vem.”

Marlus Joca, por sua vez, afirmou que todos os bodyboarders do mundo, no dia mundial do nosso esporte, deveriam sentir aquilo vivido no Bodyboard Legends. “Foi uma experiência de boas energias, todos rindo, se divertindo, relembrando histórias passadas, mas com olhares voltados para o futuro do bodyboarding.”

Já Alberto Maia considerou ter cumprido, juntamente com todos os outros cearenses, a missão dada de representar o estado naquele grande encontro. “Representamos bem a nossa geração, nosso grupo, nossa vibração, nossa garra. Evento foi espetacular e jamais esquecerei.”

Competição manteve viva a memória do eterno Francisco Rosa, foi minha primeira (como atleta) fora do Ceará, a inaugural da grande Neymara Carvalho num evento máster, teve também a presença ilustre de Roberto “Testinha” (pioneiro do bodyboarding paulista), assim como, de Rick Werneck (um dos primeiros fotógrafos aquáticos do Brasil) e, para completar, atletas cearenses foram homenageados na cerimônia de premiação que contou com o multicampeão Guilherme Tâmega.

Colaboração: Rodrigo Monteiro

Fotografias: Marley Araújo

 

Resultado final

 

Equipe campeã (3)

Robson Costa

Fábio Simonin

Ugo Nitsche

Eric Poseidon

Renata Pimentel

 

Equipe vice-campeã (14)

Marcelo Miranda

Paulo Costa

Erick Pimentel

Bruno Rodrigues

 

Equipe terceira colocada (2)

Cláudio Marques

Rodrigo Monteiro

Luís Benicio

Marcos Braz

Gica Vargas

DSC_7600 DSC_7601 DSC_7603 DSC_7604 DSC_7610 DSC_7612 DSC_7613 DSC_7616 DSC_7618 DSC_7619 DSC_7620 DSC_7621

DSC_7625 DSC_7626 DSC_7629 DSC_7632 DSC_7641 DSC_7655 DSC_7662 DSC_7663 DSC_7665 DSC_7669 DSC_7670 DSC_7677 DSC_7709 DSC_7710 DSC_7731 DSC_7750 DSC_7752 DSC_7754 DSC_7755 DSC_7764 legends 2 legends 3 legends 4 legends 5 legends

 

 

 

4 comentários

  1. Parabéns Marley. Sempre com excelentes matérias. Uma pena que outros compromissos me impediram de comparecer a esse lindo evento. Mais no próximo estarei presente. Bjs. Aloha!!!!

  2. Parabéns! Muito Bom! Temos uma geração instigante que representa nosso esporte! O melhor de tudo é estar no mar! Linda festa do Bodyboarding Brasileiro.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s