BELA MAJESTOSA

Com quatro títulos mundiais, um tricampeonato latino-americano, um pan-americano, um ISA, um bicampeonato europeu, um bicampeonato brasileiro profissional e mais um como amadora, além de um título estadual, ela é a cearense que já se tornou a segunda maior competidora da história do bodyboarding.

Apesar de ter um título mundial a menos que Neymara Carvalho (recordista da história), ela já ultrapassou a capixaba em número de vitórias no circuito (19 X 15), assumiu a ponta dessa classificação há quatro anos, de longe é a maior atleta alencarina (incluindo o masculino) e, recentemente, se tornou a brasileira com mais títulos europeus.

Hoje com trinta anos de idade, ela começou a surfar no Icaraí em 2001, no ano que nosso Roberto Bruno conquistou seu bicampeonato brasileiro profissional. Incentivada pela cunhada Marina, que lhe presenteou com a primeira prancha, e pelo irmão Alex Sousa, que insistiu para a mesma trocar o futebol pelo bodyboarding, ela também foi aluna do “exemplo de superação”, Eduardo Freitas (campeão cearense profissional 2017), e monitora do seu projeto, a EBI (Escolinha de Bodyboarding do Icaraí). Sua trajetória fenomenal como competidora começou em 2005, quando conquistou o título brasileiro amador, vencendo quatro das cinco etapas realizadas. No ano seguinte, com apenas 16 (dezesseis) anos, resolveu se profissionalizar, se tornou campeã latino-americana, vice-campeã brasileira e já se encontrava entre as dez melhores do mundo.

Em 2008, chegou a liderar o circuito mundial, vencendo a etapa brasileira que ocorreu na Praia Costa Azul, em Rio das Ostras, Rio de Janeiro. No ano seguinte, conquistou o tricampeonato latino-americano, o pan-americano, mas foi em 2010 que, heroicamente, foi campeã brasileira e mundial, no nível mais alto do esporte. Em 2011, conquistou o bicampeonato brasileiro, o ISA GAMES, mas ficou apenas com o vice-mundial. Na temporada seguinte, superou na final duas gigantes da história do esporte (Neymara Carvalho e Karla Costa) e venceu, na sua estreia naquela onda, a etapa havaiana de Pipeline. Após essa vitória, outra na Austrália e mais uma em Copacabana, no “Rio Bodyboarding International”, Isabela conquistou seu segundo título mundial e, de quebra, ainda levou a etapa venezuelana.

Seu tricampeonato mundial aconteceu em 2013, seu único título cearense no ano seguinte e, em 2016, vencendo três das quatro etapas disputadas (Itacoatiara, Arica e Sintra), ultrapassou Neymara Carvalho em número de vitórias do circuito e alcançou seu quarto título mundial, se igualando a Stephanie Pettersen, australiana que foi tetracampeã representando o Brasil. No período retrasado (2018), entrou mais uma vez para a história por ter sido a primeira alencarina que venceu uma etapa cearense do circuito brasileiro (Beach Park) e por ter conquistado também um título do “velho mundo”. Com o bicampeonato europeu do ano passado, nossa rainha foi ainda mais longe e se tornou a brasileira com mais troféus daquele continente.

Fotografia de capa: arquivo pessoal da atleta.

Outras fotografias: Marley Araújo, Lima Júnior, Roberto Bruno.

Fontes:

Cbrasb

www.facebook.com/isabelasbb

isabelasousabb.blogspot.com.br

Jornal Diário do Nordeste

genesisbb.com.br

esporte.ce.gov.br

Apbtour.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s