MARCAS HISTÓRICAS

Por Bia Jesus.

Para estrear a coluna, quero começar relembrando uma época muito importante para o esporte no Estado do Ceará. Há um pouco mais de duas décadas vivíamos um cenário com muitas competições locais, muitos praticantes e muita visibilidade do bodyboarding.

A necessidade de roupas próprias para a prática do esporte, além do cenário bastante favorável, encorajou muitos atletas, praticantes e até simpatizantes do esporte a produzirem suas próprias peças, como os bodyshorts.

E, o mais importante, muitos dos praticantes e simpatizantes do bodyboarding realmente consumiam esses produtos, o que ajudava no crescimento das marcas locais, que, consequentemente, contribuíam para o crescimento do esporte, pois muitas dessas marcas investiam nos atletas locais, fomentando, assim, o mercado do nosso esporte.

Gostaria de lembrar de todas aqui, massss não dá, rs, realmente eram muitas. Algumas se consolidaram e permanecem com grande representatividade no mercado, uma delas é a Highscore. A Highscore teve origem com o atleta profissional Tainan Monte e, ainda hoje, traz ao mercado do bodyboarding uma grande variedade de produtos próprios, nacionais e importados. A marca continua com sua sede em Fortaleza, mas atende a todo mercado nacional através do site www.meubodyboard.com. Nas palavras de Pedro Paterno, hoje à frente da administração da marca, o grande diferencial da Highscore vem do fato de ser uma marca criada por um bodyboarder para os bodyboarders, além do belo trabalho de seu idealizador, que iniciou com uma pequena loja em sua casa e hoje possui como sede renomado shopping da capital. Como visão de futuro, os administradores acreditam que ainda há muitas conquistas a serem realizadas, dentre elas, em primeira mão (uhuu!!), é a ideia do Circuito Highscore, com a meta de quatro etapas distribuídas nos períodos da temporada cearense, quando temos as melhores condições do mar.

Notícia boa, né? Particularmente torço muito para que tudo dê certo. Mas, como bem ressalta Pedro, “para isso acontecer precisamos de pessoas que realmente abracem a nossa ideia, porque ninguém consegue colocar um campeonato na praia com uma premiação bacana se não tiver o apoio dos investidores principais, que são os clientes”.

Acredito que esse consumo consciente seja de fundamental importância para o crescimento e valorização do esporte, como um círculo virtuoso.

Não poderia deixar de citar aqui outras marcas como a Kcal Sport, criada em 1994 por Ezequiel, que hoje apoia um dos circuitos mais importantes do país, o Circuito Master Vip Francisco Rosa, que já ocorre há três anos no Ceará em memória do ícone Francisco Rosa.

Outra marca de grande relevância para o bodyboarding cearense, sem dúvidas, foi a Waveline, criada em 1999 pelo nosso querido head judge cearense Amadeu Júnior. Nas palavras de Amadeu, a marca foi criada “com o foco em roupas de surfar para bodyboarders. Pequenos detalhes, mas que fazem grande diferença, foram pensados para essa fatia de consumidores, como o fecho lateral, que não feria a skin das boards; os ilhós de drenagem foram substituídos por telas plásticas para evitar ferrugem; o cós das bermudas de surfar eram todos em neoprene, para proporcionar mais conforto e se ajustar a vários tamanhos de cintura”. Além desse cuidado especial nas peças de roupas, a Waveline sempre se destacou no mercado, demonstrando grande preocupação e incentivo ao bodyboarding. “Apoiamos todas as etapas do Circuito Municipal de Fortaleza (ABBF) e algumas etapas do Circuito Cearense e de Caucaia. Ao mesmo tempo, apoiamos diversos atletas, famosos e anônimos, apostando sempre no progresso do Bodyboarding”. Infelizmente a Waveline finalizou sua produção em 2003, quando ocorreu uma parada nos eventos de bodyboarding no Ceará.

Não podemos esquecer de outras marcas como a Afloat (criada por Justi Freitas), Chayumar (criada por Chacon), Crowd Boardshorts (criada por Alexandre), dentre outras, que dedicaram atenção especial ao crescimento do nosso esporte. Assim como grandes marcas de surf, que investem em atletas e competições de bodyboarding, como a Cilindro e a Pena, de certa forma apoiaram o nosso esporte no cenário cearense.

Bom galera, é isso! Espero que tenham gostado. Finalizo com um pedido para que continuem (ou comecem) a consumir de marcas que de alguma forma contribuam para o crescimento do esporte, porque isso é fundamental para mantê-lo vivo. Aloha!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s