BICAMPEÃ PROFISSIONAL

Com três títulos estaduais (um deles amador), boa vantagem nos confrontos locais com nossa tetracampeã mundial e a marca de ter sido a única campeã cearense invicta (profissional) num circuito com três etapas, ela também é a segunda maior detentora de títulos estaduais do nível mais elevado com um bicampeonato.

Considerada “a pedra no sapato” da Isabela Sousa nas disputas estaduais, ela começou no bodyboarding há 16 (dezesseis) anos, quando tinha 17 (dezessete) de idade, incentivada pela irmã bicampeã cearense amadora Patrícia Helena, que também lhe presenteou com a primeira prancha. Como gostava muito dos campeonatos, resolveu entrar na escolinha do “Mago da Esponja” Luís Gustavo (hexacampeão cearense), onde teve dois meses de aprendizado. Após uma evolução fenomenal em apenas um semestre, estreou nas competições e, para nossa alegria, nunca mais parou.

Local da Praia do Futuro, a formosa Renata Úrsula conquistou seu primeiro título estadual em 2008, último ano que nosso circuito funcionou sem a categoria profissional feminina. Entretanto, logo em seguida, teve que se afastar devido enfraquecimento dele, tendo voltado quando soube que Tom Santiago havia assumido a federação, oferecendo um novo ciclo para o bodyboarding cearense. No primeiro evento pós-retorno, foi logo conseguindo a terceira colocação na terceira e última etapa de 2011, ocorrida somente no começo do ano seguinte, dias 28 e 29 de janeiro, no quintal de sua casa (PF).

No circuito 2012, estreou na categoria principal vencendo a disputa inicial e conquistando seu primeiro título do nível. Largada com vitória aconteceu na Praia do Futuro e nossa biografada superou até a então campeã cearense (Patrícia Setúbal). Ficou em quinto no encontro seguinte, perdeu apenas para sua irmã na etapa subsequente e, na última, outro vice lhe ajudou alcançar conquista inédita na carreira.

Em 2013, Renata Úrsula teve um ano arrasador. Na primeira etapa, ocorrida na PF, defronte barraca Guarderia Brasil, foi a campeã do evento vencendo na final a então bicampeã mundial Isabela Sousa, dominando a disputa do início ao fim. No segundo encontro, na Taíba, ganhou novamente, assim como na terceira e última etapa, na Ponte Metálica, conquistando um bicampeonato profissional sem perder nenhuma etapa e nenhuma bateria. No ano seguinte, enfrentou uma cirurgia de apendicite, que adiou seu projeto de disputar os circuitos brasileiro e mundial, ficando afastada do “outside” por seis meses. No novo retorno (2014), tratou de dificultar (mais uma vez) a vida da grande rival local, pois também ganhou a etapa inicial do estadual (Taíba), virando no último minuto contra ela (que dominou toda a bateria), naquele que foi o ano do único título estadual da recordista de vitórias da história do circuito mundial (Isabela Sousa). Apesar do grande regresso da biografada, a mesma recebeu o troco no segundo e último encontro da temporada (evento duas estrelas) e findou com o vice-campeonato da disputa e do estadual.

Em 2015, começou obtendo a terceira posição na disputa da Taíba mas, no derradeiro encontro da temporada, acontecido somente no último mês de fevereiro do ano seguinte (2016), voltou a fazer bonito. Primeiramente, nas quartas-de-final, ganhou a bateria em cima de duas grandes atletas do esporte, a maior de todas Neymara Carvalho (pentacampeã mundial) e Joana Nóbrega (pentacampeã cearense na década de 90), que acabou desclassificada, já que a capixaba passou em segundo. Na final, Renata perdeu para a campeã da competição e do estadual (Patrícia Setúbal), mas voltou a ganhar da nossa tetracampeã mundial, que terminou em terceiro.

Na sua estreia no circuito nacional, coincidentemente acontecida na praia do Beach Park (quarta e última disputa de 2018), apesar de ter vencido as duas baterias da fase classificatória e superado, inclusive, a campeã mundial amadora e pentacampeã carioca Nicolle Calheiros, acabou parando nas quartas e terminou evento na sétima colocação, num bom início como revelou a própria numa rede social: “Primeira experiência competindo o Brasileiro na categoria profissional, infelizmente o resultado não foi o almejado, mas de fato um resultado no qual me faz ter certeza que tenho potencial para ir muito além”.

Fotografia de capa: Renata Úrsula

Outras fotografias: Marley Araújo e Felipe Lima    

Fontes:

Waves

osbodyboards.com

Blog manobra radical

Jornal Diário do Nordeste

blogsurfroom.com

pena.com

cearaesportetotal.blogspot.com.br

Instagram

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s